Temer está “constrangido” por ter que demitir Imbassahy, diz coluna

 

Segundo o blog da jornalista Andréia Sadi, do portal G1, o presidente Michel Temer está “constrangido” por ter que demitir o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy (PSDB). Temer diz ser grato ao trabalho do tucano durante o auge da crise política do governo – as duas denúncias que o presidente enfrentou na Câmara. 

De acordo com a publicação, Temer – pressionado por partidos da base – está convencido de que precisa trocar o ministro da articulação política. Contudo, os partidos que querem indicar o novo ministro ainda não chegaram a um acordo.

Também tem incomodado peemedebistas da Câmara a movimentação de Moreira Franco (ministro da Secretaria Geral) para substituir Imbassahy. Segundo o relato de um aliado de Temer, o processo de escolha do novo articulador político precisa ser uma decisão daqueles que terão “linha direta” com o ministro, ou seja, os parlamentares.

FONTE: METRO 1

O post Temer está “constrangido” por ter que demitir Imbassahy, diz coluna apareceu primeiro em Jequié Urgente.

Câmara inicia semana com pauta trancada por 10 medidas provisórias

 

BRASIL

Após uma semana de recesso por causa do feriado da Proclamação da República (15 de novembro), o plenário da Câmara dos Deputados volta aos trabalhos com 10 medidas provisórias trancando a pauta de votação.
O Congresso Nacional deve votar oito delas até o fim de novembro, quando expira o prazo de análise das MPs pelos deputados e senadores.
Entre as medidas encaminhadas pelo governo que trancam a pauta legislativa está a que trata da participação da União em fundo de apoio à estruturação e ao desenvolvimento de projetos de concessões e parcerias público-privadas e da transferência de recursos para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
Outra medida que pode ser votada é a que institui o Programa de Desligamento Voluntário (PDV), a jornada de trabalho reduzida com remuneração proporcional e a licença sem remuneração com pagamento de incentivo para servidores do Poder Executivo federal.
Ainda consta na pauta MPs da área de infraestrutura, como a que estabelece um regime especial para exploração e aproveitamento das substâncias minerais, a que cria a Agência Nacional de Mineração e extingue o Departamento Nacional de Produção Mineral e a que institui regime tributário especial para as atividades de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás natural.
Também está prevista a discussão de duas propostas de emenda à Constituição (PECs), entre elas a que altera prazos e a forma de apreciação das medidas provisórias pelo Congresso Nacional.
Reforma da Previdência
Enquanto tentam acelerar a votação das MPs, os deputados que integram a base governista ainda se articulam para retomar a tramitação da reforma da Previdência. A PEC que altera as regras de acesso ao benefício da aposentadoria ainda não consta na pauta do plenário da Câmara, mas a equipe econômica do governo espera votar pelo menos o primeiro turno da reforma ainda este ano.
Para facilitar a aceitação da reforma entre os partidos, o governo aceitou fazer ajustes no texto elaborado pelo relator da proposta, deputado Arthur Maia (PPS-BA), que já foi aprovado em comissão especial. A expectativa é que esta semana as mudanças que flexibilizam a proposta sejam discutidas entre as lideranças partidárias. Ainda não há previsão de quando o novo texto será divulgado.
Comissões
Na terça-feira (21), os deputados também devem concluir na comissão especial a análise da PEC 381/2015, que trata da ampliação da licença-maternidade para mães de bebês prematuros e acrescenta na Constituição que a vida é inviolável desde a concepção do feto.
A proposta motivou intenso debate em torno da polêmica do reforço da criminalização da interrupção da gravidez contida no relatório em análise pela comissão. O texto-base da proposta já foi aprovado, e na próxima reunião o colegiado pode votar os destaques ou sugestões de mudanças apresentadas ao texto. Concluída esta etapa, a proposta segue para análise do plenário.
FONTE: G1

O post Câmara inicia semana com pauta trancada por 10 medidas provisórias apareceu primeiro em Jequié Urgente.

“Geddel” é capa da Revista Época desta semana

 

O ex-ministro e preso da Lava Jato Geddel Vieira Lima é capa da Revista Época desta semana. Na matéria, o periódico traz casos envolvendo o peemedebista principalmente a partir das declarações do assessor parlamentar Job Ribeiro Brandão.

A revista ressalta que ao resolver contar o que sabe, Job envolve o deputado Lúcio Vieira Lima com recursos ilícitos e diz que o dinheiro do bunker ficava guardado em closet da mãe. A Época teve acesso a um depoimento de Job e, conforme a revista, constitui um grave relato de interferência nas investigações, capaz de agravar a situação de Geddel.

O post “Geddel” é capa da Revista Época desta semana apareceu primeiro em Jequié Urgente.

ACM Neto viaja a Portugal e Espanha em busca de investimentos

 

O prefeito ACM Neto viajou na noite desta terça-feira (13) em missão internacional em Portugal e na Espanha. “A primeira parada é em Lisboa, a segunda, em Madri.

O objetivo principal é promover a cidade de Salvador, então nós vamos ter um conjunto de eventos com empresários, setor de turismo, levando essas transformações que estão acontecendo em Salvador nos últimos anos, mostrando o potencial que nós temos nos últimos anos. Vamos lançar, em parceria com a Air Europa, mais uma vez a campanha que envolve as aeronaves da Air Europa”, informou Neto, que retorna na próxima terça-feira (21). “Temos rodadas diplomáticas marcadas, inclusive com encontros importantes na embaixada do Brasil na Espanha, onde nós vamos reunir empresários e investidores de outros setores, não apenas do turismo”. 

FONTE: BN

O post ACM Neto viaja a Portugal e Espanha em busca de investimentos apareceu primeiro em Jequié Urgente.

O “Coroné” voltou! Deputado Angelo Coronel reassume ALBA com festa e recepção calorosa

 

RECEPÇÃO CALOROSA

Após 25 dias afastado da presidência da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), o deputado Angelo Coronel (PSD) reassumiu nesta segunda (13) o comando do Legislativo com boas histórias e projetos na bagagem, ou melhor, na cabeça.

Ele foi recebido com festa por servidores sob aplausos, abraços calorosos e cartazes de boas vindas. O parlamentar esteve em quatro países: China, Japão, Singapura e Emirados Árabes. Coronel participou de reuniões com empresários de diversos segmentos com o objetivo de atrair negócios atrativos para os baianos.

“Foi uma viagem muito proveitosa, um país que é a segunda maior potência mundial. A China hoje é a fábrica do mundo, mas infelizmente ainda usa muito mão de obra escrava. A minha prospecção de negócios com empresários de vários segmentos é para tentar atrair empresários brasileiros, principalmente baianos, que queiram se associar aos fornecedores da China para que a gente receba produtos aqui em CKD. Ou seja, como se fosse um quebra-cabeça para a gente fazer a montagem aqui. Com isso, vamos gerar emprego e renda nesse caos que está hoje a Bahia e o Brasil”, avaliou Coronel.

Encontro com Rui e deputados

Um encontro com o governador Rui Costa (PT) e as lideranças partidários da base de apoio ao Palácio de Ondina no Legislativo estadual, na manhã/tarde desta segunda-feira (13), na Governadoria, marcou a primeira agenda oficial do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), deputado Angelo Coronel (PSD), após o seu retorno da China.
“O governador nos convidou, assim como aos líderes de partidos de sua base de sustentação na Alba, para apresentar o leque de ações e convênios do governo no interior do Estado para os próximos dias, nas áreas de saúde, abastecimento de água, esporte, pavimentação e outras. Foi uma reunião muito boa”, explicou o chefe do Poder Legislativo baiano.

Angelo Coronel destacou que, segundo o governador, uma quantidade de municípios será beneficiada até o final do ano, nesta primeira etapa com as iniciativas oficiais. Outra gama de municípios será favorecida no próximo dia 27. E até o início de 2018 todas as cidades baianas serão incluídas nas medidas governamentais.

Para o deputado Joseildo Ramos (PT), foi uma reunião de alinhamento do governo com a sua base. “Foi uma atividade de cunho político, para ouvir demandas, como forma de utilizar da capilaridade da bancada para mostrar as ações do governo. Os próximos 48 dias serão de entrega de obras e de intensificar os investimentos no interior”, explicou o petista.

Joseildo citou a entrega das policlínicas dos municípios de Teixeira de Freitas, Guanambi e Irecê, além da inauguração do Hospital da Costa do Cacau, em Ilhéus, a unidade de Seabra e a ampliação do Hospital de Brumado.

A deputada Fabíola Mansur (PSB) reiterou o propósito do governador Rui Costa de dialogar com a sua base no Legislativo, e observou se tratar de obras nas áreas de saúde, infraestrutura, esporte e trabalho etc.

Participaram ainda os deputados Zé Neto (PT), Bobó (PCdoB), Eduardo Sales (PP), Alex Lima (Podemos), Mirela Macêdo (PSD), Roberto Carlos (PDT) e Manassés (PSL), além do secretário de Relações Institucionais, Josias Gomes.

FONTE: INFORME BAIANO

O post O “Coroné” voltou! Deputado Angelo Coronel reassume ALBA com festa e recepção calorosa apareceu primeiro em Jequié Urgente.

Ao lado de Rui e Leão, Otto reitera apoio em 2018: “Somos uma figura só”

 

Presente na inauguração de um módulo do Departamento de Polícia Técnica (DPT) na cidade de Itaberaba, na região da Chapada Diamantina, o senador Otto Alencar (PSD-BA), destacou que está ao lado do governador Rui Costa (PT-BA) e do vice João Leão (PP-BA) nas eleições de 2018. Durante discurso no palanque montado na cidade, ele reforçou a união ao petista.

“Nós três disputamos as eleições de 2014. Eu queria dizer em alto e bom som que nós somos uma figura só. Estaremos unidos sempre para trabalhar pela região. Nós estaremos unidos em 2018. Quero dizer para que não haja dúvida sobre esse respeito. As duas figuras têm o meu apoio nas eleições. Rui Costa para governador e João Leão para o lugar onde ele queira ficar. Às vezes não fica claro. Muita gente da imprensa perguntava sobre 2018. Estou dizendo isso para que fique claro”, disse o senador.

Otto também fez críticas ao presidente Michel Temer e aos oposicionistas ao Governo do Estado. De acordo com o senador, membros dos diretórios baianos do PSDB e do DEM trabalham para atrapalhar a chegada de investimentos para a Bahia.

“Ele está trabalhando no momento mais difícil do governo da Bahia que é no cerco que o governo federal, liderado por Michel Temer e pelos tucanos e democratas aqui da Bahia, contra o governador para impedir que ele tenha o dinheiro para ajudar a população. O cerco do Banco do Brasil tirou R$ 600 milhões do empréstimo que o presidente assinou, o Banco do Brasil assinou, Henrique Meirelles assinou e até hoje o governador não recebeu. Sabe por que não recebeu? Porque os democratas e os tucanos não querem que ele traga investimento em saúde e educação aqui para a região”, declarou.

O post Ao lado de Rui e Leão, Otto reitera apoio em 2018: “Somos uma figura só” apareceu primeiro em Jequié Urgente.

Policiais baianos lançam manifesto e rejeitam candidatura de Bolsonaro à presidência

 

Um grupo de policiais da Bahia divulgou um manifesto nesta quarta-feira (8) em repúdio ao deputado Jair Bolsonaro, pré-candidato à Presidência da República em 2018. Na publicação, o coletivo Policiais Baianos Progressistas e Pela Democracia, ressalta a importância dos direitos humanos e a valorização da vida.

“Escolhemos essa profissão para proteger as pessoas — nossas famílias, nossos vizinhos, os cidadãos e as cidadãs do nosso estado —, para cuidar dos outros, para acabar com o medo e não para provocá-lo, para garantir a paz social e não para fazer a guerra. Entendemos que não é abolindo ou desrespeitando os direitos humanos, como pedem alguns demagogos, que vamos reduzir a violência na sociedade; muito pelo contrário”, diz o texto.

Confira a publicação na íntegra:

O coletivo de Policiais Baianos Progressistas e Pela Democracia é um grupo informal de Policiais que se inspira e se associa às ideias do Movimento Policiais Antifascismo e no Agentes da Lei Contra a Proibição, e acredita numa política de segurança pública que tenha os direitos humanos e a dignidade da pessoa humana como fundamento. Escolhemos essa profissão para proteger as pessoas — nossas famílias, nossos vizinhos, os cidadãos e as cidadãs do nosso estado —, para cuidar dos outros, para acabar com o medo e não para provocá-lo, para garantir a paz social e não para fazer a guerra. Entendemos que não é abolindo ou desrespeitando os direitos humanos, como pedem alguns demagogos, que vamos reduzir a violência na sociedade; muito pelo contrário.

Num contexto de profunda crise social, econômica, política, moral e educacional, o aumento da violência, em suas diversas formas, é perfeitamente compreensível que as pessoas queiram um governante forte e capaz de mudar isso. E esses anseios populares têm servido como desculpa para discursos que clamam por mais violência para enfrentar a violência, mais armas para enfrentar os tiros, menos direitos para proteger os direitos ameaçados pela criminalidade, penas mais duras que chegam tarde e não mudam nada, mais guerra para reduzir os danos de uma guerra que não deu certo. Respostas contraditórias, sem dúvida ineficazes, comprovadamente ruins em todos os países que as adotaram, porém, sedutoras, porque recorrem ao medo e ao desespero das maiorias para vender uma receita mágica, simplista, mas que não deu certo em lugar nenhum.

Diante desse quadro, não poderia haver alguém pior que Bolsonaro para resolvê-lo. Ele demonstra total despreparo teórico e prático pra enfrentar essa crise e governar um país tão grande, diverso e complexo como Brasil. Não tem formação e nem experiência de gestão pública. Não entende nada de Economia. É totalmente ignorante sobre Relações Internacionais e Política Internacional. Desconhece os problemas do país e, assim, também desconhece as soluções. Consequentemente não tem qualquer projeto de governo e de políticas públicas para saúde, educação, moradia, mobilidade urbana, geração de emprego e renda, e assistência social.

Nem mesmo para área de segurança pública tem propostas sérias, consistentes e que possam trazer algo de bom para o país. Embora, quando fala desse tema, pareça saber o que diz, é um completo incompetente, um político incapaz. Suas propostas para área se resumem a dar carta branca (sic) para policiais matarem e a liberação geral da posse e porte de armas de fogo. Como se já não ostentássemos as assustadoras estatísticas de mortes violentas intencionais – 61,5 mil assassinatos registrados em 2016 e mais de 3 mil mortes decorrentes de ações policiais.

O pior é que é mais que isso. Bolsonaro surgiu no cenário político nacional bradando contra a corrupção e em defesa da ordem. Contudo, ironicamente sua carreira política se iniciou a partir de atos de desordem, indisciplina e deslealdade perante o Exército Brasileiro. Após dar uma entrevista e escrever um artigo para a revista Veja, reclamando dos salários dos militares, foi punido administrativamente, e, por isso, planejou colocar bombas numa adutora da Companhia de Águas do Rio de Janeiro e na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, a fim de provocar uma desestabilidade política e a queda do Ministro do Exército.

Quanto à corrupção, apesar do discurso moralista e da autodeclaração de homem honesto, não explicou o aumento do patrimônio incompatível com os vencimentos. Além de ter recebido dinheiro da Friboi em sua campanha eleitoral e de fazer parte da “Lista de Furnas”. Seu silêncio em relação às acusações contra Temer, Aécio e outras figuras do PMDB, PSDB e DEMO chama bastante atenção sobre sua hipocrisia no que tange ao assunto.

Após a conspiração terrorista de 1987 denunciada pela revista Veja, acima citada, deixou o Exército e no ano seguinte elegeu-se vereador pelo município do Rio de Janeiro, onde se especializou em defender mamatas. De lá para cá, elegeu-se e reelegeu-se diversas vezes deputado federal, empanturrando-se nas benevolentes tetas do Estado, ganhando como legislador, mas sem quase nunca legislar. Ao longo desses quase 30 anos como parlamentar, só apenas duas vezes ele conseguiu convencer seus colegas de que o que estava propondo merecia se tornar lei. Sua atuação parlamentar se resumiu a ser um advogado de causa própria. Os projetos de lei que apresentou diziam respeito a questões corporativas, que visavam aumentar os benefícios de sua própria classe profissional, a dos membros das Força Armadas. A exemplo de um projeto de lei que, caso fosse aprovado, obrigaria o Estado a pagar parte das mensalidades escolares de filhos dos militares federais (incluindo os filhos dos militares da reserva, como ele).

Se por um lado, sempre se mostrou desinteressado, incompetente e ineficaz em apresentar propostas que viessem a impactar positivamente a vida dos trabalhadores e trabalhadoras, por outro, se mostrou bastante alinhado ao governo corrupto e golpista de Michel Temer. Tendo votado a favor da extinção de direitos trabalhistas. Inclusive, declarou em uma palestra (?) nos EUA que o brasileiro tem que decidir entre ter trabalho (precarizado, claro) ou ter direitos trabalhistas. Pois, como se percebe, não passa pela cabeça dele a possibilidade de o empresário diminuir um pouco os altos lucros e o trabalhador ter direitos e emprego. Tendo ainda votado na Lei que amplia a terceirização e precarização do trabalho. Além de ter também votado a favor da chamada “PEC do Fim do Mundo”, a Emenda Constitucional nº 95 que congela gastos em saúde, educação, segurança, assistência social e os investimentos públicos por 20 anos.

Também se mostrou bastante eficiente em ser um político boquirroto. Especializou-se no discurso de ódio. Sempre proferindo coisas que ninguém julgava possíveis de serem proferidas em público. Atacando mulheres, gays, negros, refugiados, sobretudo quando pobres. Chegou a dizer que Quilombolas “não deveriam procriar”, que os refugiados sírios e haitianos eram escórias, que mulheres deveriam receber salários menores, que preferia ver um filho morto a se declarar gay e que a ditadura militar matou pouco. Enfim, passou três décadas agredindo militantes de esquerda, ativistas de direitos humanos, gays, mulheres, negros. Além de fazer apologia à tortura, ao estupro e ao assassinato. Desta forma, ganhou notoriedade não pelo que produziu como parlamentar – praticamente nada –, mas pelo discurso de ódio contra as minorias.

Como vemos, tudo o que ele tem a oferecer é mais violência, medo e ódio. É mais rancor, mais frustração, mais retaliação, mais tiro, mais sangue. Mais morte, mais homicídios. Tudo isso para compensar o desemprego, a precarização do trabalho, a precariedade dos serviços públicos de saúde, educação e assistência social, a falta de moradia, a desigualdade socioeconômica. Isso que ele está prometendo e tem a oferecer para o povo brasileiro é o inferno para nós policiais honestos e bons servidores, que acabamos sendo vítimas de assassinatos, muitos desses gerados por essa lógica belicista e de culto ao ódio (o Brasil é também campeão mundial em mortes de policiais). Tudo isso é o contrário do que precisamos.

Enfim, por todo o exposto e por defendermos a construção de uma sociedade livre, justa e solidária; que possa garantir o desenvolvimento nacional, a erradicação da pobreza e da marginalização, a redução das desigualdades sociais e regionais, e que promova o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade, orientação sexual e quaisquer outras formas de discriminação, é que rejeitamos a candidatura do deputado Jair Bolsonaro à presidência da República.

Cap PM George de Matos Santos- Corregedoria

Cap PM Rogério de Oliveira Barbosa- 6ª CIPM

Cap PM Ricardo Penalva da Silva- 62ª CIPM

Cap PM André Francisco Campos- CPRC/ Atlântico

Cap PM Claudemir Cardoso Mota- Corregedoria

SubTen PM Misael de Souza Santos- CBMBA

Sub Ten Nelia de Souza Amorim Gomes – Corregedoria

1° Sgt PM Paulo César de Oliveira- RR

Cb PM Alexsandro dos Santos Moreira- 27ª CIPM

Cb PM Laércio Neres Brito- 56ª CIPM

Cb PM Angelo Márcio Santos da Silva-

6ªCIPM

Cb PM Gustavo Souza- CBMBA

Cb PM Carla Maia- 56ª CIPM

Sd PM Ricardo de Matos Santos- 97ª CIPM

Sd PM Gilmar Carvalho Figueiredo- 4° BPM

Sd PM Ewerton Santana Monteiro- EsqpMont/Fsa

Sd PM Diego Roberto de Almeida Adorno- 6ª CIPM

Sd PM Jean Carlos Ferreira Dourado- 38ª CIPM

Sd PM Luís de Oliveira Ferreira Júnior- 51ª CIPM

Sd PM Gabriel Matos- Departamento de Comunicação Social

 FONTE: INFORME BAIANO

O post Policiais baianos lançam manifesto e rejeitam candidatura de Bolsonaro à presidência apareceu primeiro em Jequié Urgente.

‘Fake news’: Rui nega que PMDB e PT articulem aliança para eleições de 2018

 

O governador Rui Costa negou que o PMDB e o PT estejam articulando aliança para as eleições de 2018. Durante entrega do viaduto de Stella Maris nesta quarta-feira (8), o governador disse que a possibilidade não passa de “fake news”. “A internet, a comunicação hoje em dia, é espetacular, um fenômeno mundial, traz muitas coisas boas. Mas junto com as coisas boas traz esse fenômeno atual que é o fake, a mentira, a falsa notícia. Isso acontece no mundo inteiro, a pulverização de notícias falsas através de personagens falsos ou plantando notas ou divulgando notas falsas nas redes sociais”, criticou o petista. De acordo com o chefe do Executivo estadual, titulares e representantes do partido já desmentiram a informação. 

FONTE: BN

O post ‘Fake news’: Rui nega que PMDB e PT articulem aliança para eleições de 2018 apareceu primeiro em Jequié Urgente.

“Não tenho medo de anunciar, eu sou candidato”, anuncia Rui Costa sobre 2018

 

O governador Rui Costa (PT) admitiu publicamente, nesta segunda-feira (6), o que era sabido no meio político: é candidato à reeleição para o segundo mandato de chefe do Executivo estadual. “Não tenho medo de anunciar, eu sou candidato”, disse o petista durante entrevista à Metrópole FM. Apesar da declaração, Rui Costa evitou falar sobre formação da chapa majoritária. “É muito prematuro falar de formação de chapa agora. Eu prefiro deixar esse debate para o ano que vem”, afirmou.

Ao ser questionado se gostaria de ser candidato de Temer, o petista negou veementemente. “De jeito nenhum. Agora, tem gente que não assume essa amizade. Essa gente é que precisa se preocupar, porque onde anda na Bahia é vaiada”, disse. “Eu chegarei no ano que vem e mostrarei nosso trabalho. Eu não conheço ainda outro candidato a governador. Alás, eu vi que foi lançado o do Psol, o mesmo que saiu da vez passada. Eu não vi ainda ninguém confirmando candidatura. Eu sou candidato. Não tenho medo, não tenho insegurança de anunciar que sou candidato. Eu sou candidato a governador e estou trabalhando, mas só vou conversar sobre eleição no ano que vem”, ressaltou. *Bocão News

O post “Não tenho medo de anunciar, eu sou candidato”, anuncia Rui Costa sobre 2018 apareceu primeiro em Jequié Urgente.

PSDB deixará o governo; prazo de saída deve ser definido na convenção nacional

 

TEMER, CADA DIA MAIS SOZINHO

Após meses de indefinição, a saída do PSDB do governo Michel Temer deve acontecer e apenas questão de tempo. Segundo informações da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, mesmo integrantes da ala governista do partido admitem se tornou inevitável deixar o governo.

A saída dos tucanos pode ser acelerada caso o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, seja escolhido presidente do partido na convenção nacional, em dezembro, abrindo caminho para sua candidatura à Presidência da República. Caso o governador de Goiás, Marconi Perillo, seja o escolhido, o prazo da debandada se estende até fevereiro de 2018. Há ainda outra possibilidade que apressaria a saída do PSDB: uma vitória do senador Tasso Jereissati (CE) na disputa pelo comando da legenda.  Ele tem o apoio de Fernando Henrique Cardoso e já está à frente da sigla interinamente, e vem defendendo a retirada do governo. Neste domingo (6), FHC também defendeu neste domingo (5), em artigo, que o PSDB pule do barco. “um partido que se propõe a lançar candidato presidencial neste momento difícil do país deve procurar união interna para, em aliança com alguns outros partidos, formar um polo progressista”, afirmou, para completar: “O PSDB precisa continuar apoiando as reformas, mas para ser condutor de novas políticas não necessariamente há de estar ligado a um governo cujo núcleo político pertence a outros partidos. Veremos se na convenção haverá o rejuvenescimento requerido para o futuro do Brasil”.

FONTE: BAHIA NOTÍCIAS

O post PSDB deixará o governo; prazo de saída deve ser definido na convenção nacional apareceu primeiro em Jequié Urgente.